OLED x LED: qual será o futuro da iluminação?

Ao longo dos anos o setor de iluminação tem evoluído graças à introdução do LED no mercado. Porém o cenário da tecnologia de iluminação em LED ainda será muito mais eficiente.

Depois do LED, uma nova tecnologia promete revolucionar o design de iluminação: trata-se do OLED, um sistema de painéis que emitem luz regular e difusa.

No atual cenário de iluminação, o LED pode ser utilizado em praticamente todos os segmentos. Sua tecnologia tem se tornado cada vez mais eficiente, pois é possível manter um alto fluxo luminoso com redução da potência, diminuindo assim os custos de energia.

Porém, em termos de inovação, estamos para o OLED hoje como estávamos para o LED há cinco anos. O custo deve baixar gradativamente, assim como ocorreu com seu antecessor.

O LED deriva do nome em inglês light emitting diode. Trata-se de um pequeno ponto, do tamanho de um grão de areia, com capacidade de gerar luz através de fios condutores. O componente mais importante de um LED é o chip semicondutor, que é o responsável pela geração da luz. Este chip tem dimensões muito reduzidas.

A tecnologia em LED veio para ficar e revolucionar todos os sistemas de iluminação. Porém já se passaram mais de 10 anos que as primeiras lâmpadas com sistema LED foram colocadas no mercado, e deste então outras tecnologias foram descobertas, como o OLED.

O OLED é um componente orgânico encapsulado entre lâminas de vidro. Com a passagem da corrente elétrica, ocorre a eletroluminescência, assim como no LED.

A principal diferença é que o LED orgânico (OLED) não é um ponto, mas uma superfície.

A estrutura de um OLED é um pouco parecida com a de um sanduíche. As camadas orgânicas são posicionadas entre dois eletrodos planos, que são cerca de cem vezes mais finos que um fio de cabelo humano e invisíveis a olho nu. Quando se faz uma corrente elétrica passar através delas, as moléculas nas camadas orgânicas começam a brilhar.

Vantagens do OLED

Uma das vantagens do OLED é o fato de ser uma fonte luminosa plana, além da possibilidade de ser produzido em versão maleável. Como ele utiliza camadas de material plástico em vez de vidro transparente, sua luz é distribuída pela superfície de uma forma em que não gera ofuscamento.

Na iluminação os OLEDs de cor branca emitem uma luz branca, brilhante mais uniforme e mais

Até agora, o dispositivo tem sido aplicado apenas em peças nas quais a necessidade de clarear é secundária, como lanternas decorativas e espelhos. Há protótipos de utilização em sinalizações e em tetos solar de automóveis.

A Flexibilidade é o que torna o OLED uma opção extremamente interessante. As diferentes possibilidades de formas, tornam-se uma vantagem para designers da iluminação.

Em um futuro previsível pode ser até possível utilizar os OLEDs, por exemplo, como uma espécie de segunda camada sobre papel de parede, tetos ou janelas.

Fonte:

Compartilhe a publicação

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Postagem relacionadas

Decoração com revestimento tijolinho

Além de ser muito versátil em relação aos estilos de decoração, o tijolinho para parede pode ser aplicado em diversos cômodos. Na prática, pode utilizada